Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

O tempo da pandemia, passado em casa, levou muitas pessoas a reverem seus álbuns de família, suas fotografias… as histórias de sua família e as de sua vida.

Trouxeram à memória histórias de afeto, amor, encontros, comemorações entre outras nem tão calorosas, mas todas fazendo parte da pessoa que ela se tornou!

Como a Memória é a faculdade mental através da qual se consegue reter e ‘re-lembrar’ o passado, nós utilizamos o termo Memória para o nosso propósito de valorizar a trajetória de vida de uma pessoa, uma família ou uma empresa.

Hoje falaremos sobre a Memória Familiar, a que está relacionada aos saberes transmitidos de geração para geração, desde os tempos que as famílias se reuniam e tinham o hábito de conviver com os avós e tios, dos quais ouviam as histórias de família nos almoços, jantares ou encontros da família em finais de semana.

Envolvidos neste trabalho encontramos pessoas interessadas em buscar suas origens, informações sobre seus antepassados, alguns que se tornam guardiões dos objetos das gerações mais antigas por terem sido designados para isso e, outros ainda, por se sentirem responsáveis por este legado de valores e afetos, os guardam para que ele não se perca.

Mas, apenas guardar não resolve a questão deste legado vir a desaparecer. É necessário levá-lo ao conhecimento de todos os familiares. E como fazer isso em tempos em que estamos isolados e todos estão conectados por mensagens?

Levando a Memória para este contexto!

Na convivência com famílias empresárias ou não, percebemos a questão intrínseca de querer saber: De Onde Viemos? Quem Somos? Para Onde Vamos? E, partindo deste questionamento, desenvolvemos um serviço de Integração Familiar, que utiliza a Memória Familiar para responder a primeira questão.

Lá há respostas para: Quem foram meus antecessores: avós, tios-avós, bisavós, tataravós, etc.? Onde nasceram? Onde viveram? Como viveram? Estudaram ou aprenderam ofício da família? Que negócios tiveram? Passaram por crise ou guerra? Meus bisavós se casaram por compromisso familiar? Onde meus avós se conheceram? De onde vem esta minha habilidade? Além destas, muitas, muitas outras respostas estarão na Memória Familiar.

As descobertas de afinidades, preferências, habilidades ou semelhanças entre parentes por vezes distantes como um tataravô, são sempre emocionantes e instigantes para a própria família.

Interessante também são os objetos guardados e que contam a história da família, além dos álbuns de fotografias, como mandrião de batizado de gerações, chapéus, óculos, canetas, bilhetes manuscritos, coleções das mais diversas! E para tudo há uma história!

Inseridas em um aplicativo interativo, lá ficam essas e muitas outras histórias e memórias da família, que juntas formam a Memória Familiar, onde as futuras gerações terão como conhecer e se reconhecer neste legado!

Uma boa semana, cheia de memórias familiares!

Publicado emArtigos
Fechar