Pesquisa da KPMG Mostra os Diferenciais das Empresas Familiares para Superar os Desafios de 2020

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

O quarto ano da pesquisa “Retratos de Família – Um Panorama das Práticas de Governança Corporativa e Perspectivas das Empresas Familiares Brasileiras” realizada pela KPMG mostrou a mudança nas perspectivas das empresas familiares com o início da pandemia, focando principalmente nos diferenciais e vantagens dessas instituições. A pesquisa constatou que os pontos cruciais para fortalecer e superar os problemas apresentados nesse ano atípico foram: marca forte, rapidez na tomada de decisões e atendimento personalizado.

Será disponibilizado o link da pesquisa, porém comentaremos um ponto positivo e um ponto que merece atenção trazido pelo material.

Como ponto positivo, 38% dos respondentes da pesquisa atual afirmaram que o foco de seus investimentos serão destinados à inovação do negócio atual. Em 2018 esse percentual era de 28%. Talvez a própria pandemia tenha incentivado esse olhar das empresas à inovação, uma vez que tiveram que se adaptar de uma hora para a outra à nova forma de trabalho (home office) e a nova forma de expor seus produtos e serviços, uma vez que tiveram que passar a usar novas tecnologias para se adaptar ao meio digital.

Como ponto que merece atenção, a pesquisa abordou também os planos futuros de crescimento das empresas familiares e suas maiores preocupações. E a dificuldade de obter financiamento foi o que mais chamou atenção, uma vez que saltou de 1% na pesquisa anterior para 19% agora, visto que os financiamentos e empréstimos são a principal fonte de captação de recursos das empresas brasileiras.

É muito comum que essas empresas tenham dificuldade de acesso à empréstimos, uma vez que os bancos analisam diversos fatores e documentos, como o nível de organização e governança corporativa por exemplo. Em geral, quanto mais estruturada e preparada a empresa estiver, melhor será o acesso à empréstimos com boas taxas de juros. Apresentar demonstrativos financeiros que representem a realidade da empresa e o planejamento estratégico apontando onde o seu negócio pretende chegar, transmite transparência e credibilidade aos bancos.

No entanto, as empresas familiares em sua maioria, não possuem clareza da importância de tais documentos, o que reflete em sua imagem para o banco, que acaba por negar o empréstimo, gerando uma série de problemas para a empresa, inclusive a falta de caixa para investir em novos projetos e em alguns casos, podendo chegar à falência por falta de fluxo de caixa, principalmente levando em conta o momento delicado que as empresas brasileiras estão tendo que atravessar.  Confira os detalhes da pesquisa em https://home.kpmg/br/pt/home/insights/2021/03/empresas-familiares-brasileiras.html

Publicado emNotícias

Deixe uma resposta

Fechar