Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Ao analisar o relatório de desempenho de sua empresa, o empreendedor irá verificar primeiramente o que pode ter causado uma variação importante em relação ao que planejou. Seja por fatores internos ou por razões externas ele provavelmente irá descobrir a causa que provocou os desvios registrados.

Aquele desempenho negativo ou positivo, pode, por exemplo ser consequência de efeitos conjunturais. Uma crise política, uma retração do mercado e tantos outros fatores que puderam  interferir no desempenho da empresa sem que houvesse uma ação direta do dono ou dos gestores sobre a situação. Detectado o problema em decorrência dos fatos, provavelmente serão tomadas medidas para mitigar as consequências. 

Tudo isso deixa o empreendedor preocupado, nervoso e ansioso. As noites são mal dormidas e as reuniões com sua equipe de trabalho são constantes. Apesar da situação o chefe da empresa está controlando e monitorando o todo o que de certa forma o acalma. Quanto mais transparente e conhecida for a relação de causa e efeito, mais confortável ele se sentirá no contexto da situação.

Mas existe um fenômeno que pode surgir aos poucos. Às vezes, somente após anos é que o fundador da empresa, se dará conta de que algo esteja ocorrendo e cuja causa ele desconhece. Isto o deixa de inicio com uma sensação de desconforto, ansiedade e por fim de muita angustia. Ele tenta buscar de todos os lados o que pode ter sido a  causa do problema detectado. Tenta atenuar os efeitos com medidas paliativas e que não dão resultados. Conversa com um amigo, talvez com o cônjuge sobre o que está sentindo. As vezes é obrigado a abrir a sua guarda e começar a relatar coisas a outras pessoas, o que para ele é algo de novo gerando grande desconforto pessoal.

Afinal! Estamos falando de problemas de ordem humana sobre os quais o empreendedor não tem o controle que gostaria de ter. Vamos dar alguns exemplos que acontecem em muitas famílias empresárias. Temos o caso de irmãos que não se dão bem no convívio profissional, se invejando  e disputando o poder.  Um outro exemplo, é a da filha ou do filho que por principio são do contra em tudo o que o pai diz, sugere ou recomenda. Mais triste ainda fica o empreendedor quando percebe que a filha ou o filho estão com planos de seguir uma carreira profissional diferente que a sonhada por ele.

Lidar com estas situações é extremamente delicado e requer do empreendedor muita sabedoria e inteligência emocional. O certo seria ele desbravar novos campos de conhecimento dos quais ele nunca pensou em se aventurar e tomar contato. Estou falando de matérias que lidam sobre as pessoas, relacionamentos familiares e sociais e do próprio desenvolvimento do ser humano. Assim, como qualquer empresário que  busca o seu desenvolvimento  acadêmico e se obriga a conhecer diversos assuntos ligados aos negócios, desde marketing, produção, vendas, processos, sistemas, legislação, custos e finanças ele deveria se interessar por assuntos ligados ao homem como mencionado acima. Somente assim, ele poderá desvendar alguns mistérios que eventualmente sejam as causas dos problemas manifestado e fonte de tantas preocupações. Tendo algum conhecimento deste outro lado mais oculto   das relações humanas e do próprio  homem  ele poderá  entender melhor o que está ocorrendo à sua volta. Entretanto entender não quer dizer conhecer a fundo ou descobrir exatamente a causa. Mas chegando a este nível de percepção e manifestação das coisas  o empreendedor certamente saberá agir adequadamente e se acalmar internamente.

O último passo a ser dado pelo nosso protagonista é partir para a busca do autoconhecimento, pois quem sabe ele esteja colhendo os frutos das tempestades que semeou há muito tempo atrás.

Publicado emArtigos
Fechar